Archive

Archive for agosto \31\UTC 2010

DITADURA NO AR: DIGA NÃO A CENSURA DE BLOGS!

agosto 31, 2010 1 comentário

Censura a vista: Lei autoritária exigirá registro de blogs e permitirá acusação criminal por comentários

Uma proposta que foi apresentada no dia 14 de abril deste ano tem como objetivo cercear a liberdade de expressão no Brasil através de blogs, umas das poucas fontes de informação ainda não controladas.

Se você mantém um blog ou se simplesmente se importa com a sua liberdade de expressão e com a defesa e garantia de liberdades individuais e coletivas informe-se e faça algo a respeito antes que todos tenhamos que testemunhar o nascimento de uma nova e poderosa CENSURA.

A proposta de número 7.131 de autoria do deputado federal Gerson Peres (PP-PA), foi apresentada no dia 14 de abril e pretende instaurar mecanismos de censura sob o pretexto de regulamentação.

Este ofensivo projeto de lei, que não só inclui blogs, mas também fóruns e mecanismos similares de publicação na internet (termos muito convenientemente vagos), inclui basicamente três pontos principais:

  • Comentários de blogs (e semelhantes) terão que ser previamente moderados.
  • Crimes contra honra – calúnia, injúria e difamação – advindos dos comentários de blogs serão de responsabilidade de seus editores, proprietários ou autores. Ações civis poderão ser impetradas contra o dono do blog.
  • Todos os blogs (e semelhantes) terão que ser registrados no registro.br. Este registro inclui informações tais como: Nome Completo, Endereço completo, Bairro, Cidade, Estado, CEP, Telefone (fixo, celular ou os dois), CPF e RG.

Caso o blog ou similar não estiver em conformidade com estas regras terá que pagar uma multa de R$2.000 até R$10.000 reais!!! Por exemplo, o meu blog seria multado, porque meu registro não é no registro.br, e provavelmente nunca será!

O pretexto utilizado é que os blogs e afins, por mais que tenha aumentado as possibilidades de manifestação do pensamento e liberdade de expressão, não são passíveis de responsabilização civíl e penal no caso de ocorrência de crimes contra a honra.

O que vemos aqui é um dupla armadilha. A primeira será de manter a identificação e o registro de cada um de nós blogueiros. Não haverá mais anonimato, todos os blogueiros serão conhecidos, pelo menos para o governo. A segunda é que, quando bem entenderem, poderão cancelar o registro no registro.br. Alguém ousou criticar a nova campanha de vacinação do governo? Simples, cancele seu registro, afinal, onde já se ouviu tamanha calúnia!

Em relação ao comentários anônimos, caso você não tiver habilitado moderação ou não tiver muito cuidado para não deixar passar um comentário calunioso, pessoas mal intencionadas (ou até mesmo empresas ou departamentos do governo que se sintam expostos pelo blog ou fórum) poderão simplesmente escrever algo que possa ser visto como calúnia para que o responsável seja processado de forma civil e penal.

Apesar do foco da lei ser nos comentários anônimos, no meu ver o real objetivo é identificar e registrar todos os blogueiros, além de criar burocracia e esta ameaça constante que com certeza fará com que menos pessoas se aventurem a abrir um blog.

No caso dos fóruns, esta lei irá torná-los totalmente ineficaz. Ou você terá que achar uma forma de identificar os usuários do fórum ou terá que moderar todas as mensagens. Quem irá usar um fórum assim?

Uma outra implicação serão nos blogs corporativos de jornais, ou até matérias de jornais que permitam comentários. Os veículos de mídia terão que se certificar da identidade dos autor dos coment?rios ou arcar com a responsabilidade por processos. O resultado será que lamentavelmente irão remover quaisquer oportunidades de interação com os usuários. A internet simplesmente virará o que vemos hoje na TV, um total controle da mídia corporativa.

Não apenas seremos todos nós blogueiros identificados, dando oportunidade para retaliações e coações por parte do governo quando postarmos verdades inconvenientes, mas teremos nosso blog rapidamente retirado do ar quando bem entenderem.

De acordo com o site Terra, o projeto de lei (PL-7131/2010) tramita na Câmara em regime de urgência, e aguarda apreciação em plenário, ainda sem data definida.

Leis similares estão sendo criadas nos Estados Unidos, e não me surpreende que o Brasil está querendo ficar a frente em matéria de controle totalitário.

Por favor, passe esta mensagem adiante, ou leia esta lei e dê sua opinião.

Por gentileza repasse este texto, mobilize suas redes e vamos barrar este texto absurdo. A omissão pode trazer sérias consequências.

Clique aqui para mandar sua reclamação para o nosso nobre deputado. Seja educado mas faça valer sua opinião.

Fontes:
Íntegra da proposta
Página de Gerson Peres na Camara
Ferramentas Blog: Projeto de lei quer responsabilizar donos de blogs por comentários “anônimos”
UOL: Projeto de lei quer regularizar os blogs brasileiros
Terra: Projeto de lei: anonimato na web pode penalizar blogueiros

FONTE FIM DOS TEMPOS.NET

“Cristais Quebrados”, o que escreve o ator Carlos Vereza sobre o Pt.

agosto 30, 2010 4 comentários

 

 

Não é necessário ser profeta, para revelar antecipadamente o que será o ano eleitoral de 2010.

Ou existe alguém com tamanha ingenuidade para acreditar que o “fascismo galopante” que aparelhou o estado brasileiro, vá, pacificamente, entregar a um outro presidente, que não seja do esquema lulista, os cargos, as benesses, os fundos de pensão, o nepotismo, enfim, a mais deslavada corrupção jamais vista no Brasil?

Lula, já declarou, que (sic) “2010 vai pegar fogo!”

 Entenda-se por mais esta delicadeza gramatical, golpes abaixo da cintura :

Dossiês falsos, PCC: “em rebelião”, MST convulsionando o país…

Que a lei de Godwin me perdoe – mas assistiremos em versão tupiniquim, a Kristallnacht, A Noite dos Cristais que marcou em 1938 o trágico início do nazismo na Alemanha.

E os “judeus”, serão todos os democratas, os meios de comunicação não cooptados (verificar mais uma tentativa de cercear a liberdade de expressão no país: em texto aprovado pelo diretório nacional do PT, é proposto o controle público dos meios de comunicação e mecanismos de sanção à imprensa).

Tudo isso para a perpetuação no poder de um partido que traiu um discurso de ética e moralidade ao longo de mais de 25 anos e, gradativamente, impõe ao país um assustador viés autoritário.

 Não se surpreendam: Há todo um lobyy nacional e internacional visando a manutenção de Lula no poder.

Prêmios, como por exemplo, o Chatham House, em Londres, que contou com “patrocínios” de estatais como, Petrobrás, BNDS e Banco do Brasil, sem, até agora uma explicação convincente por parte dos “patrocinadores”; matérias em revistas estrangeiras, enaltecendo o “mantenedor da estabilidade na América Latina”.

 Ou seja: A montagem virtual de um grande estadista…

 Na verdade, Lula, é o übermensch dos especuladores que lucram como “nunca na história deste país”.

Sendo assim, quem, em perfeito juízo, pode supor que este ególatra passará, democraticamente a faixa presidencial, para, por exemplo, José Serra, ou mesmo, Aécio Neves?

Pelo que já vimos de “inaugurações” de obras que sequer foram iniciadas, de desrespeito às leis eleitorais, do boicote às CPIs, como o da Petrobás, do MST e tantos outros “deslizes”, temos o suficiente para imaginar o que será a “disputa” eleitoral em 2010.

 Confiram.

Carlos Vereza .Ator e ex-petista
Para quem desconhece (Carlos Alberto Veneziano de Almeida, mais conhecido como Carlos Vereza (Rio de Janeiro, 4 de março de 1939) é um ator brasileiro.

 Fonte:http://carlosverezablog.blogspot.com/2009/11/2010-cristais-quebrados.html

Saiba em quem não deve Votar, fique atento(a).

agosto 30, 2010 Deixe um comentário

 “Dai a Cesar o que é de César e a Deus o que é de Deus” – Dom Luiz Gonzaga Bergonzini [Com um pouco de atraso, publico as palavras de S. E. R. Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, Bispo de Guarulhos.

Os grifos e sublinhados estão no original. Graças a Deus, um pastor não se furtou ao seu grave dever de zelar pelo rebanho que tem sob seu cuidado. Parabéns a Sua Excelência!

Que a Virgem Santíssima o possa continuar conservando na Fé sem a qual é impossível agradar a Deus. E que as palavras dele sejam amplamente divulgadas. Fonte: Diocese de Guarulhos.]

 Com esta frase Jesus definiu bem a autonomia e o respeito, que deve haver entre a política (César) e a religião (Deus).

Por isto a Igreja não se posiciona nem faz campanha a favor de nenhum partido ou candidato, mas faz parte da sua missão zelar para que o que é de “Deus” não seja manipulado ou usurpado por “César” e vice-versa.

 Quando acontece essa usurpação ou manipulação é dever da Igreja intervir convidando a não votar em partido ou candidato que torne perigosa a liberdade religiosa e de consciência ou desrespeito à vida humana e aos valores da família, pois tudo isso é de Deus e não de César.

Vice-versa extrapola da missão da Igreja querer dominar ou substituir- se ao estado, pois neste caso ela estaria usurpando o que é de César e não de Deus. Já na campanha eleitoral de 1996, denunciei um candidato que ofendeu pública e comprovadamente a Igreja, pois esta atitude foi uma usurpação por parte de César daquilo que é de Deus, ou seja o respeito à liberdade religiosa.

Na atual conjuntura política o Partido dos Trabalhadores (PT) através de seu IIIº e IVº Congressos Nacionais (2007 e 2010 respectivamente), ratificando o 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3) através da punição dos deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso, por serem defensores da vida, se posicionou pública e abertamente a favor da legalização do aborto, contra os valores da família e contra a liberdade de consciência.

Na condição de Bispo Diocesano, como responsável pela defesa da fé, da moral e dos princípios fundamentais da lei natural que – por serem naturais procedem do próprio Deus e por isso atingem a todos os homens -, denunciamos e condenamos como contrárias às leis de Deus todas as formas de atentado contra a vida, dom de Deus,como o suicídio, o homicídio assim como o aborto pelo qual, criminosa e covardemente, tira-se a vida de um ser humano, completamente incapaz de se defender.

A liberação do aborto que vem sendo discutida e aprovada por alguns políticos não pode ser aceita por quem se diz cristão ou católico. Já afirmamos muitas vezes e agora repetimos: não temos partido político, mas não podemos deixar de condenar a legalização do aborto. (confira-se Ex. 20,13; MT 5,21).

Isto posto, recomendamos a todos verdadeiros cristãos e verdadeiros católicos a que não dêem seu voto à Senhora Dilma Rousseff e demais candidatos que aprovam tais “liberações”, independentemente do partido a que pertençam.

Evangelizar é nossa responsabilidade, o que implica anunciar a verdade e denunciar o erro, procurando, dentro desses princípios, o melhor para o Brasil e nossos irmãos brasileiros e não é contrariando o Evangelho que podemos contar com as bênçãos de Deus e proteção de nossa Mãe e Padroeira, a Imaculada Conceição. D. Luiz Gonzaga Bergonzini Bispo de Guarulhos Isso é que é falar claro!

 Favor divulguem isso para todos os seus contatos católicos!

Defendamos os direitos dos não nascidos.

 

Fonte: http://www.recadosaarao.com.br/index.asp

Fonte das imagens: http://wwwblogdehoje.wordpress.com

www.rosangelamaria.blogspot.com

  

Era o que faltava> Candidato a Deputado Estadual, usa uma parodia da música de Michael Jackson, “Beat It” para se promover

Olá,

Depois de ter que aguentar candidados na horario politico do tipo Tiririca, Mulher Pêra entre outros. Agora para se promover escutamos Lindolfo Pires fazendo uma parodia de Beat It de Michael Jackson.

Escutem aqui

http://soundcloud.com/user9340729/lindolfo-pires-parodia-beat-it

Categorias:Acontece no Mundo

Video da Semana:Lula preocupado com prejuízo eleitoral e Sérgio Cabral xingando menino de 17 anos (na época)

Categorias:Acontece no Mundo

Onde está a Oposição?

Gen. Mário Ivan Araújo Bezerra | 24 Agosto 2010
Artigos – Eleições 2010

São muitas as perguntas que a oposição e a imprensa, que está com sua liberdade ameaçada, poderiam fazer à candidata terrorista Dilma Roussef.

Com o título de “A grande mídia se organiza contra a candidatura de Dilma”, circula na internet, há dias, um texto que dá conta de um consenso entre os principais órgãos de comunicação de massa do país no sentido de alertar o eleitorado sobre “um risco para a democracia brasileira: a eleição de Dilma Rousseff”. O texto aborda basicamente o aspecto liberdade de expressão e dá a entender que, a partir de então, aquela significativa porção da Imprensa que compareceu ao encontro passaria a adotar uma atitude ofensiva e não defensiva em relação ao assunto, assumindo uma postura decididamente contrária à candidata do PT. No entanto, nos últimos dias a popularidade de Dilma só fez crescer (inclusive graças a franco apoio de parte da mídia), o que leva a crer que as resoluções do seminário promovido pelo Instituto Millenium ficaram apenas nas intenções. Por seu turno, a oposição parece ter feito um pacto de silêncio com o governo.

O temor dos principais veículos de comunicação realmente tem fundamento. É previsível que uma enxurrada de projetos de cunho autoritário inunde o Congresso tão logo a vitória de Dilma se revele assegurada. Não é à toa que já tiveram início acertos para a ocupação de cargos no novo governo assim que surgiu a perspectiva de eleição da candidata no primeiro turno. Afinal, Franklin Martins, que não dorme de touca nem engole derrotas, certamente não deixará passar em branco a oportunidade de voltar à carga com suas idéias de colocar cabresto na Imprensa.

Infelizmente, porém, esse não é o único perigo à vista. Tarso Genro, provável futuro governador do Rio Grande do Sul, renascerá das cinzas e, com forças renovadas, fará ressuscitar todo seu ideário, talvez numa edição ainda mais radical. A falácia da Lei do Desarmamento – que só desarmou os cidadãos de bem – com toda certeza voltará à pauta do novo governo. A Lei que trata do assentamento de auto-declarados quilombolas será aplicada com rigor. Os invasores de terra ganharão força. O PNDH será retirado da gaveta onde foi confinado e retornará à cena. O aparelhamento do Estado com pessoas filiadas ao partido da situação será aperfeiçoado. Por toda parte reinará o radicalismo. E esse “status” prevalecerá absoluto por, pelo menos, mais doze anos, completando-se, assim, uma era de 20 anos de petismo, tal como no país do companheiro Hugo Chávez. Restará saber se a presidenta terá pulso e disposição para segurar os aloprados.

Haverá quem diga que seria um exagero supor que a mídia teria poder para mudar esse quadro, se assim o desejasse. A eleição de 1989, entretanto, em que um ou dois veículos de comunicação tiraram do nada o candidato Fernando Collor e o puseram na Presidência da República dá muito que pensar.

Mas ao contrário, no entanto, hoje parece estar havendo um pacto abrangente, não só de boa parte da mídia, mas de toda a oposição, no sentido de poupar a imagem do governo e do atual presidente, atitude que significa abrir mão de poderosas armas e que, fatalmente, acabará facilitando a vitória da candidata do PT. Indícios desse pacto são as cansativas entrevistas e os pachorrentos debates que temos visto na TV.

A oposição parece ter aceitado a carapuça que o PT lhe impôs. Admite nunca ter feito nada pelo país e considera que passou ao governo do PT uma herança maldita. Tem medo de criticar o desempenho da política econômica, que o governo diz ser a melhor do mundo. No entanto a verdade é que a política econômica atual é um prosseguimento da anterior. É verdade, também, que seus êxitos não são assim tão espetaculares. Afinal, nossos juros continuam altíssimos. Nossas estradas, esburacadas. Nossos portos, emperrados. Nossos aeroportos, entupidos. Faz oito anos que nossas taxas de crescimento são pífias. O custo de vida no Brasil é um dos mais altos do mundo. O preço da gasolina é elevadíssimo.

O governo diz ao povo que pagou toda a dívida externa do país. Quem é letrado, entretanto, sabe que a dívida que foi paga foi apenas a do FMI. E mais: foi paga com dinheiro de novos empréstimos feitos a outros credores, inclusive no mercado interno. A bolsa-família é paga com recursos tomados aos bancos que, por sinal, estão muito felizes com a situação.

As demais políticas também deixam muito a desejar. A assistência de saúde é uma calamidade. Segundo o IBGE há 12 milhões de domicílios sem água encanada. A telefonia é ruim e caríssima. Nossa banda larga é de segunda categoria. (Que não venha alguém, por favor, fazer comparações com outros países da América do Sul; é sabido que todos estão em pior situação, mas isso não justifica nosso atraso). A segurança pública – apesar da criação da Força de Segurança Nacional – nunca esteve tão ruim. (Os policiais são caçados pelos bandidos). Os Correios, que outrora foram a instituição mais confiável do país, agora são motivo de chacota. A educação, em especial, é um descalabro.
O Ministério da Educação não consegue se acertar. Aliás, desde que foi admitido o voto do analfabeto, o governo, em vez de procurar acabar com o analfabetismo, parece dele estar se beneficiando eleitoralmente.

Por que ninguém fala mais em mensalão? Por que os repórteres que fazem as entrevistas ou conduzem os debates evitam o assunto? Houve algum acordo a respeito?
 

Que foi feito da SUDENE, que ia ser restaurada? E os dez milhões de empregos que seriam criados? Alguém se lembra da vaia no Maracanã?

E os inúmeros fiascos na política externa? Por que o governo foi tão frouxo com Evo Morales? Por que há militantes das FARC empregados em órgãos governamentais? Por que estamos cedendo às pressões do Paraguai? Como vai a famosa refinaria que Hugo Chávez ia financiar em Pernambuco? Por que estamos financiando obras na Venezuela? Por que fizemos tanta bobagem em Honduras? Por que apoiamos governos truculentos, que não respeitam os Direitos Humanos, especialmente em Cuba e no Irã? (Nosso Secretário de Direitos Humanos deveria ir morar lá). Por que trouxemos médicos de Cuba? Como podemos dar asilo político a uma iraniana que cometeu crime comum? Meu Deus! Caímos no ridículo. Tivemos até a pretensão de fazer a paz entre árabes e judeus!…

É, parece que nunca, na história desse país, tantos erros foram cometidos… No entanto, a continuarem as coisas do jeito que estão, terá sido um desperdício de tempo e dinheiro o seminário promovido pelo Instituto Millenium. E, pior ainda, há um forte indício de que nossa oposição desapareceu e estamos vivendo uma nova era de partido único, como em alguns países socialistas cujo nome nem vale a pena citar.

*Oficial-General da Reserva do Exército

MIDIA SEM MASCARA

Categorias:Eleições 2010

O MITO DA PROSPERIDADE ERA PETISTA

Klauber Cristofen Pires | 25 Agosto 2010
Artigos – Governo do PT

Alguém pode me responder se melhorou a segurança pública? Preciso comentar sobre isto? Não precisaria, a não ser para lembrar aos ainda desavisados que o PT é sócio das FARC no Foro de São Paulo

Diante de tantos descalabros cometidos por Lula e seu partido (foi mesmo por um Fiat Elba que Collor caiu?), o povo, em acepção ampla, o que inclui também a classe empresarial, tem se sentido seguro por agarrar-se tão somente aos indicadores econômicos, por acreditar que Lula e a sua equipe têm se saído bem nesta área. Pois então, hoje, venho frustar as suas esperanças. Quem sabe assim entenderão que o oásis de sombra e água fresca que lhe é apresentado pelo governo com a cumplicidade de grande parte da mídia tradicional não resiste a um exame mínimo de lógica.

Trata-se de um crasso erro histórico a opção do nosso povo em abdicar alegremente dos seus preceitos morais, de sua dignidade e da liberdade para endossar as políticas econômicas do PT. Com efeito, não há como a população em geral não ter tido a mínima ciência dos passos deste partido imbuído do mais bem acabado projeto de conquista de um poder totalitarista, depois de tantos escândalos de corrupção, intervenção, golpes contra a ordem institucional (falo dos dossiês falsos, dos acessos a dados sigilosos e do acionamento do crime organizado para perpetrar atos terroristas em massa, como aconteceu em São Paulo em 2006 e recentemente) e investidas contra a propriedade privada e contra a liberdade de expressão.

Diante de tantos descalabros cometidos por Lula e seu partido (foi mesmo por um Fiat Elba que Collor caiu?), o povo, em acepção ampla, o que inclui também a classe empresarial, tem se sentido seguro por agarrar-se tão somente aos indicadores econômicos, por acreditar que Lula e a sua equipe têm se saído bem nesta área. Pois então, hoje, venho frustar as suas esperanças. Quem sabe assim entenderão que o oásis de sombra e água fresca que lhe é apresentado pelo governo com a cumplicidade de grande parte da mídia tradicional não resiste a um exame mínimo de lógica.

Para tanto, comecemos por nossa infra-estrutura: Temos oito anos de governo lulista, e neste tempo todo, nada – absolutamente nada – foi feito para melhorar as nossas estradas, as ferrovias, os portos e os aeroportos. Pelo contrário, no governo da estrela vermelha assistimos ao apagão aéreo, que perdura até hoje, e à tragédia anunciada dos desastres que causaram a morte de centenas de pessoas. E o que nos disseram com respeito a isto? “-Relaxa e goza!”

Com relação ao nosso sistema elétrico, testemunhamos a fragilidade de uma rede que não agüenta uma chuva, e o que tivemos como resposta, justamente desta que hoje se apresenta como candidata do continuísmo? “Ôôô querida, não vai ter apagão, só blecaute!”. Pois saibam os meus compatriotas que na região metropolitana de Belém falta luz todos os dias, sendo que nas áreas um pouquinho mais afastadas o “blecaute” tem sido, em média, de dezoito a vinte horas diárias, segundo recente reportagem televisiva! Igualmente, tenho recebido comunicados de amigos de todo o Brasil, relatando que em suas respectivas localidades acontece o mesmo! De fato, o barramento está sobrecarregado de tal forma que os operadores se vêem na contingência de praticar o revezamento entre os bairros, com o especial cuidado de “caprichar” nos lugarejos mais pobres.

E quanto ao gás natural? O que o atual governo fez por todos nós? Além de ter entregado graciosamente cinco refinarias da Petrobras (não era pra ser um patrimônio dos brasileiros?) ao seu amigo cocaleiro e colega do Foro de São Paulo, concordou em aumentar estupidamente a tarifa do gás proveniente daquele país. E o que recebemos como resposta? “- o povo boliviano é pobre e precisa da nossa ajuda”. Ué, o Sr Lula é presidente do Brasil ou da Bolívia?

Vamos resumir a interminável coleção das inaugurações de promessas? Recordemos do fiasco do biodiesel, da tv digital, da banda larga, do pré-sal, da obras da Copa e agora, do factóide trem-bala! Enquanto em outros países todas estas coisas existem, funcionam otimamente ou foram bem construídas e executadas, aqui batemos palmas e estouramos champanhe para o vento.

Passemos aos serviços típicos de estado: alguém pode me responder se melhorou a segurança pública? Preciso comentar sobre isto? Não precisaria, a não ser para lembrar aos ainda desavisados que o PT é sócio das FARC no Foro de São Paulo, e que tem agido consistentemente para a proteção e apoio àquela entidade narcoterrorista. Como um sócio de narcoguerrilheiros poderia ter interesse em acabar com o tráfico de drogas no Brasil, a principal causa da violência, ou melhor, da criminalidade?

Passemos à questão da educação: o que melhorou? Ainda somos o país mais burro do mundo, a empunhar a lanterna na popa. E tomem escândalos de corrupção envolvendo roubos de provas, vestibulares, concursos públicos e vazamentos de dados sigilosos.

Na saúde, todos os dias, todos os dias, todos os dias, as notícias se repetem de gente morrendo nos corredores dos hospitais fétidos, e o que nos respondem? “- Que o sistema público de saúde beira à perfeição…”

Trago fatos de amplo conhecimento. Nada é novo. Assim, se todas estas coisas andam tão ruins, porque haveríamos de concluir que no estrito plano econômico vamos bem? Pois a resposta é que justamente estamos andando de ré.

Para tanto, recorro a levantamentos recentes amplamente divulgados pela imprensa que têm demonstrado que as nossas pautas de exportações gradativamente estão sendo caracterizadas pelo majoritário envio de commodities (minérios e produtos do agronegócio), em detrimento de bens industrializados com tecnologia agregada. Saliente-se que o governo, via MST e política indigenista, ao invés de estimular estes setores que ainda se mostram competitivos, concentra-se justamente em espicaçá-los. Então, de onde o mérito do Sr Lula e da candidata Dilma?

Com relação aos nossos parceiros, estamos perdendo o contato com as nações para as quais mantínhamos um tradicional comércio – inclusive de bens de maior valor agregado – para privilegiarmos a desleal China, aquela que logo no início do primeiro mandato do Supremo Apedeuta nos impingiu um embargo à soja que já estava embarcada, causando-nos um prejuízo de mais de quatrocentos milhões de reais, e isto, para ironia das ironias, logo depois do governo de Lula tê-la reconhecido como uma economia de livre-mercado. Quem se lembra daquela recorrente propaganda televisiva, logo no início do primeiro mandato petista, em que uma voz muito semelhante à do ator global Paulo José (será que a voz era mesmo dele?), aquele que só interpreta papéis de personagens abobalhados, anunciava a China como a nossa futura principal parceira comercial?

Quem diria! Depois de tanto esforço por diferentes governos rumo à industrialização, vêem logo os petistas para nos remeter ao status daquilo que eles sempre fizeram questão de criticar neste termos: “- o Brasil é uma grande fazenda!”…”-somos uma pátria de colonizados fornecedores de matéria-prima”…e assim por diante.

Por fim, mas sem esgotar, reitero o perigo do gradual abandono da única medida administrativa dos dois mandatos recentes: a responsabilidade fiscal. Com uma despesa que não pára de crescer, as impressoras já estão em aquecimento, e não tarda a um processo inflacionário vir corromper o poder de compra dos atuais salários e o valor dos produtos da exportação. Quiçá venha acompanhado de um colapso energético e dos transportes, estaremos bem fritos. E por tudo isto grossa parte da nossa gente ignora ou se faz de besta.

No cotejo com outras nações, quer sejam pequenas como o Uruguai, desenvolvidas como a Coréia do Sul ou os Estados Unidos, ou grandes como a China e a Índia, nossos índices de crescimento econômico têm se mantido sempre aquém. Portanto, cabe ao leitor perguntar a si próprio: temos crescido graças ao governo Lula ou apesar dele?

MIDIA SEM MASCARA