Arquivo

Archive for the ‘Cinema’ Category

Trailer: Harry Potter e as Reliquias da Morte

Anúncios
Categorias:Cinema

Morre a atriz Lynn Redgrave, aos 67 anos, por causa de câncer

Ela é irmã mais nova da atriz Vanessa Redgrave e concorreu a Oscar.
Mais recentemente, apareceu em séries como ‘Ugly Betty’ e ‘Law & Order’

Do G1, com informações da AP

Vanessa e Lynn Redgrave na festa annual de um prêmio para teatro em Nova YorkVanessa (esquerda) e Lynn Redgrave na festa
anual de um prêmio para teatro em Nova York
(Foto: AP/Tina Fineberg / Arquivo)

A atriz Lynn Redgrave, de 67 anos, morreu em sua casa, no estado americano de Connecticut, na noite de domingo (2). Irmã mais nova da também atriz Vanessa Redgrave, ela foi indicada ao Oscar por “Georgy girl” e “Deuses e monstros”, além de atuar no teatro. Mais recentemente, ela apareceu em séries de TV americana como “Ugly Betty”, “Law & Order” e “Desperate housewives”.

Seus filhos e amigos, segundo comunicado divulgado, estavam com ela.

“Nossa querida mãe Lynn Rachel morreu em paz após uma jornada de sete anos contra o câncer de mama”, informou o comunicado divulgado nesta segunda: “Ela viveu, amou e trabalhou mais duro que nunca. As memórias sem fim que ela criou como mãe, avó, escritora, atriz e amiga irão nos sustentar pelo resto de nossas vidas. Nossa família inteira pede por privacidade para passar por esse momento difícil”.

Sua morte acontece um ano após a morte de sua sobrinha Natasha Richardson, por causa de um acidente de esqui, e um mês após a morte de seu irmão mais velho, Corin Redgrave

Para dar mais Medo: Filme ‘O chamado 3’ em 3 D

Nova sequência da série de horror deve acrescentar clima teen à franquia.
Roteirista será David Loucka, de thriller inédito com o ator Daniel Craig

Da Reuters

imprimir

A atriz Naomi Watts em cena de 'O chamado': terceira parte do filme será em 3D.A atriz Naomi Watts em cena de ‘O chamado’: terceira
parte do filme será em 3D. (Foto: Divulgação)

O terceiro episódio da franquia de horror “O chamado” será lançado em 3D pelos estúdios Paramount.

Baseado em um filme originalmente criado no Japão, o terror conta a história de uma fita de vídeo VHS que amaldiçoa quem a assiste – o espectador morre sete dias após ver o conteúdo da mídia.

O primeiro “O chamado” em versão hollywoodiana chegou aos cinemas em 2002, com a atriz Naomi Watts (de “21 gramas) no papel principal e direção de Gore Verbinski (de “Piratas do Caribe”). Uma sequência foi lançada em 2005.

O roteiro da terceira parte vem sendo mantido sob sigilo, mas acredita-se que ele terá um viés mais adolescente, a fim de renovar o público da série. Não foi divulgado o nome do diretor do filme. O roteirista será David Loucka (do inédito thriller “Dream house”, com Daniel Craig e Rachel Weisz). Não há previsão de estreia para o longa.

G1

Categorias:Cinema

Crítica: Alice no País das Maravilhas

Ricardo Calil, colunista do iG | 22/04/2010 17:53

Alice no País das Maravilhas, de Tim Burton, lembra um desfile de moda (ou melhor, lembra um desfile para quem, como eu, não entende a fundo de moda). Um espetáculo agradável aos olhos, mas frio, mecânico, artificial como os passos dos modelos. Uma sucessão de figuras exóticas com roupas idem, mas que não interagem para formar uma narrativa.

Um dos grandes diretores do cinema contemporâneo, Burton tem essa limitação recorrente na parte mais frágil de sua obra, em trabalhos como A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça e Planeta dos Macacos. Existe um esforço tão grande para criar um visual arrebatador, para conceber personagens originais, que parece sobrar pouca energia para construir uma história interessante.

Em Alice, o problema se repete. Burton conseguiu mais uma vez imprimir um olhar original para um universo já conhecido – como já havia feito nos dois primeiros filmes da série Batman ou em A Fantástica Fábrica de Chocolate. Em vez de simplesmente transpor para a tela os livros de Lewis Carroll sobre o personagem, o cineasta imaginou Alice voltando ao país das maravilhas já adulta, para escapar de um pedido de casamento que ela quer recusar.

Versão de Tim Burton para Alice é mais aventureira do que fantástica

Ali ela tem sua identidade questionada por seus antigos companheiros de aventuras. Será ela a Alice “verdadeira”, a antiga Alice? Se for, então talvez ela seja capaz, com a ajuda do Chapeleiro Maluco (Johnny Depp), de enfrentar um monstro terrível e tirar o país das maravilhas de um período de trevas, iniciado quando a Rainha Vermelha (Helena Bonham-Carter) tomou o poder da Rainha Branca (Anne Hathaway).

Burton imprime ao filme um tom mais aventureiro do que fantástico, mais O Senhor dos Anéis e menos a Alice da Disney. É um olhar original. Mas isso é apenas um ponto de partida, não é a garantia de um bom filme. Burton montou seus cenários fantásticos, criou seres incríveis para habitá-los. Mas não conseguiu lhes dar vida. Seus personagens se movem desarticuladamente, como marionetes nas mãos do diretor.

Até mesmo Depp, que estabeleceu com Burton uma das parcerias mais frutíferas do cinema atual, está longe de sua habitual excelência. Seu Chapeleiro Maluco é apenas uma soma de trejeitos, uma caricatura exangue. Assim como a Rainha Branca criada por Hathaway. A única que consegue injetar um pouco de vida em seu personagem é Bonham-Carter, mulher de Burton na vida real.

O país das maravilhas de Burton não é aquele delírio lisérgico imaginado por Carroll, mas um universo paralelo criado pela própria Alice para escapar de uma existência conformada e previsível. Como outros filmes do cineasta, Alice é uma apologia da imaginação. Mas, infelizmente, não é um triunfo de imaginação.

Categorias:Cinema

“Alice no País das Maravilhas” lidera nos cinemas mundiais

A versão 3D de “Alice no País das Maravilhas” criada pelo diretor Tim Burton – um dos dois filmes a ocupar o primeiro lugar nas bilheterias internacionais nos primeiros três meses do ano – encerrou o primeiro trimestre no primeiro lugar pelo quarto fim de semana consecutivo.

O filme da Disney rendeu 46 milhões de dólares no fim de semana em 7.170 cinemas em 51 países, totalizando arrecadação de 363 milhões de dólares em todo o mundo menos EUA e Canadá. Sua bilheteria global está em 656,1 milhões de dólares.

Divulgação
Tim Burton dirige Mia Wasikowska em cena de “Alice no País das Maravilhas”

Antes de “Alice”, a sede por diversão 3D no restante do mundo levou “Avatar”, da 20th Century Fox, para o primeiro lugar por oito semanas consecutivas, até 28 de fevereiro.

A título de comparação, entre janeiro e o final de março de 2009 oito filmes se alternaram na posição de número 1 internacional (exceto EUA e Canadá), incluindo “Madagascar 2 – a Grande Escapada”, da DreamWorks Animation, e “Gran Torino”, de Clint Eastwood.

No último fim de semana “Alice” foi desafiado por “Como Treinar o Seu Dragão”, da DreamWorks Animation, que atraiu 31 milhões de dólares a partir de 5.594 cinemas em 35 países.

A arrecadação internacional (fora dos EUA e Canadá) da animação em 3D sobre um adolescente viking solitário que faz amizade com um dragão gigante está em 42 milhões de dólares; incluindo a América do Norte, chega a 85,3 milhões. “Como Treinar o Seu Dragão” estreou como número 1 na América do Norte e foi o segundo colocado, atrás de “Alice”, no restante do mundo.

“Dragão” estreou como número 1 no Brasil, México e Espanha, mas teve sua melhor performance na Rússia.

Enquanto isso, “Avatar” atraiu mais 7,6 milhões de dólares no fim de semana de 2.600 cinemas em 63 países, elevando seu total mundial (sem EUA e Canadá) para inusitados 1,95 bilhão de dólares. O blockbuster do diretor James Cameron foi o quarto colocado no fim de semana, atrás de “Ilha do Medo”, de Martin Scorsese, que vendeu 10 milhões de dólares em ingressos em 46 países. O drama estrelado por Leonardo DiCaprio já arrecadou ao todo 125,6 milhões de dólares fora da América do Norte.

O quinto colocado foi “Um Sonho Possível,” com a ganhadora do Oscar Sandra Bullock, que vendeu 6,7 milhões de dólares no fim de semana em 28 países fora da América do Norte (totalizando 224 milhões de dólares no resto do mundo até agora).

A comédia romântica “Caçador de Recompensas”, do diretor Andy Tennant e estrelado por Jennifer Aniston e Gerard Butler, vendeu 6,1 milhões de dólares em 1.705 cinemas de 31 países.

Fonte: IG

Categorias:Cinema

Comédia “Uma Noite Fora de Série” lidera bilheterias nos EUA

A comédia “Uma Noite Fora de Série”, sobre um casal atrapalhado que busca romper a rotina com um encontro em Nova York, liderou as bilheterias norte-americanas em seu final de semana de estreia, segundo números provisórios divulgados da empresa Exhibitor Relations.

Divulgação
Steve Carell e Tina Fey: comédia da dupla estreou na liderança das bilheterias

 

O filme de Shawn Levy, protagonizado por Steve Carell e Tina Fey, conta a noite de loucura de um casal perseguido por engano por mafiosos em Manhattan. A produção arrecadou 27 milhões de dólares em seus três primeiros dias nos Estados Unidos e Canadá.

“Uma Noite Fora de Série” deixa “Fúria de Titãs”, superprodução mitológica em 3D reprovada pela crítica, em segundo lugar. O filme do francês Louis Leterrier, que apresenta uma profusão de efeitos especiais, conquistou 26,8 milhões de dólares no fim de semana (110 milhões de dólares no total).

A animação “Como Treinar o seu Dragão”, última produção da Dreamworks em 3D, ficou em terceiro com 25 milhões de dólares de arrecadação. “Por que Eu me Casei?”, dirigido e protagonizado por Tyler Perry, ao lado de Janet Jackson, caiu da segunda para a quarta posição com 11 milhões de dólares, na frente de “A Última Música”, onde a jovem Miley Cyrus interpreta uma adolescente rebelde que retoma o contato com o pai graças à música (10 milhões de dólares).

O último filme de Tim Burton, “Alice no País das Maravilhas”, com Johnny Depp desceu para o sexto lugar com 5,6 milhões de dólares. Ao longo de seis semanas, a nova adaptação da obra de Lewis Carroll arrecadou 319 milhões de dólares na América do Norte.

* Com AFP e IG

Categorias:Cinema

Will Smith pode estrelar duas novas sequências de ‘Independence day’

Diretor Rolland Emmerich quer filmar duas sequências para longa.
Se seus planos derem certo, produção dos filmes começa em 2011.

 Do G1, em São Paulo

Foto: Divulgação Foto: Divulgação

O ator Will Smith, que pode estrelar dois novos ‘Independence day’ (Foto: Divulgação)

O ator Will Smith, que estrelou o filme-catástrofe “Independence day” em 1996, poderá estar envolvido em duas sequências que a Fox planeja para o longa-metragem.

Segundo o site IESB, o diretor Rolland Emmerich tem interesse em realizar duas filmagens em seguida para a história de alienígenas do mal que invadem a Terra. E Smith novamente seria o protagonista das tramas.

De acordo com o site, se os planos de Emmerich derem certo, a 2ª parte de “Independence day” deve iniciar filmagens em 2011.

O filme original custou US$ 75 milhões e faturou mais de US$ 817 milhões pelo mundo.

Foto: Divulgação

Cena do filme-catástrofe ‘Independence day’, blockbuster lançado em 1996 (Foto: Divulgação)

Atualmente, o diretor está envolvido na produção de do filme “Anonymous” (um drama shakespeariano), e Smith dividido entre dois projetos – “Men in black 3” e “The city that sailed”.

Categorias:Cinema