Arquivo

Archive for the ‘Moda e Beleza’ Category

Guia do blush: veja dicas para usar o produto de acordo com seu rosto

setembro 4, 2010 Deixe um comentário

Guia do blush: veja dicas para usar o produto de acordo com

 seu rosto

ASSUNTOS: Maquiagem

Guia do blush: veja dicas para usar o produto de acordo com seu rosto

O blush é parte imprescindível do processo de maquiagem. É ele que vai dar cor às maçãs do rosto e um aspecto mais saudável ao visual. Mas você sabe a maneira mais adequada de utilizá-lo? Para cada variação de rosto e pele há uma forma mais indicada de passar o blush.  Veja abaixo as dicas do maquiador Maurício Nazário e experimente!





Arte: Fernanda Colodetti
Texto: Mariana Bradford

Pincéis e diferentes texturas do blush: saiba o momento certo de usar cada tipo

Veja mais dicas do maquiador Maurício Nazário para usar o blush:

– Se você não está fazendo nenhum trabalho conceitual, só carregue no blush à noite – em festas, por exemplo. Evite o tom forte durante dia. O princípio básico da maquiagem é “olho tudo, boca nada; boca nada, olho tudo”. A mesma coisa vale para o blush. Só uma referência deve chamar atenção no rosto: ou a pele, ou a boca ou os olhos.

– Depois de aplicar o blush, com o pincel ainda sujo, tonalize o rosto passando um pouquinho no nariz, no queixo, nas têmporas e na testa. Tome muito cuidado pra não criar mais cor.

– A maquiagem ideal é aquela que faz você se sentir bem. Assuma seu estilo, use o que gosta. Algumas técnicas podem ajudar, mas nada impede que uma pessoa de pele amarelada use um blush pêssego ou alaranjado, por exemplo. Se a pessoa se sente bem, deve usar!

FONTE> GNT GLOBO
Olá meninas eu espero que tenham aproveitado as dicas de beleza de hoje 🙂
Beijinhos
Blue Fairy
Categorias:Moda e Beleza

Veja quais são os chapéus da temporada de inverno

julho 1, 2010 3 comentários
Thalita Peres

O chapéu é o acessório masculino que migra com a maior facilidade para o armário, ou mais precisamente, para as cabeças das mulheres mais ousadas. Nas passarelas nacionais e internacionais foi um dos acessórios mais vistos nos desfiles.

A palavra chapéu vem do latim antigo, “cappa” e “capucho”, que significa peça usada para cobrir a cabeça. Os primeiros modelos surgiram por volta de 4000 a.c no antigo Egito, na Grécia e na Babilônia com a finalidade de proteger e prender o cabelo. Desde então, o chapéu ganhou diferentes formas e nomes, como panamá, coco, cowboy, trilby, entre outros.

Os mais vistos nas passarelas e adornando as cabeças das celebridades são:

Fedora: Chapéu de feltro macio originário da Áustria. Apesar de muitas vezes ser associado aos homens, recebeu esse nome em homenagem a peça do dramaturgo francês Victorien Sardou, chamada Fédora. As mulheres passaram a usar o modelo no final do século 19, principalmente em atividades esportivas.

Trilby: Semelhante ao fedora, mas o modelo possui a aba mais estreita e ficou famoso entre os cantores de jazz e soul. O chapéu recebeu esse nome por causa da heroína do romance Trilby, de George du Maurier, que usava o modelo bastante popular nos anos 30 e 40.

Panamá: É o mais famoso do acessório. Feito de palha trançada encontrada no Equador e em países vizinhos. É leve e pode ser amassado que não destrói sua forma. Ganhou esse nome porque o então presidente americano Theodore Roosevelt usou o acessório em uma visita ao canal do Panamá em 1906.

O consultor de imagem e apresentador do programa Esquadrão da Moda, do SBT, Arlindo Grund, dá dicas para quem quer usar a tendência tanto no lazer quanto no ambiente de trabalho. “Primeiro tem que ver se a empresa tem dresscode ou se a mesma permite o uso do acessório. A peça é difícil de usar, a pessoa precisa ter estilo.”

Segundo Grund, a melhor opção de chapéu para o calor dos trópicos é o panamá. “Este tipo de modelo é o mais certo. Mas para usar qualquer tipo, você precisa saber qual o formato do seu rosto e ver qual chapéu é o mais apropriado.”

Mesmo sendo tendência para o inverno, o chapéu não pode ser usado em todas as ocasiões. “Além de ver se a empresa permite o uso do acessório, nunca use em um casamento a noite.”

O chapéu é o acessório masculino que migra com a maior facilidade para o armário, ou mais precisamente, para as cabeças das mulheres mais ousadas. Nas passarelas nacionais e internacionais foi um dos acessórios mais vistos nos desfiles.

A palavra chapéu vem do latim antigo, “cappa” e “capucho”, que significa peça usada para cobrir a cabeça. Os primeiros modelos surgiram por volta de 4000 a.c no antigo Egito, na Grécia e na Babilônia com a finalidade de proteger e prender o cabelo. Desde então, o chapéu ganhou diferentes formas e nomes, como panamá, coco, cowboy, trilby, entre outros.

Os mais vistos nas passarelas e adornando as cabeças das celebridades são:

Fedora: Chapéu de feltro macio originário da Áustria. Apesar de muitas vezes ser associado aos homens, recebeu esse nome em homenagem a peça do dramaturgo francês Victorien Sardou, chamada Fédora. As mulheres passaram a usar o modelo no final do século 19, principalmente em atividades esportivas.

Trilby: Semelhante ao fedora, mas o modelo possui a aba mais estreita e ficou famoso entre os cantores de jazz e soul. O chapéu recebeu esse nome por causa da heroína do romance Trilby, de George du Maurier, que usava o modelo bastante popular nos anos 30 e 40.

Panamá: É o mais famoso do acessório. Feito de palha trançada encontrada no Equador e em países vizinhos. É leve e pode ser amassado que não destrói sua forma. Ganhou esse nome porque o então presidente americano Theodore Roosevelt usou o acessório em uma visita ao canal do Panamá em 1906.

O consultor de imagem e apresentador do programa Esquadrão da Moda, do SBT, Arlindo Grund, dá dicas para quem quer usar a tendência tanto no lazer quanto no ambiente de trabalho. “Primeiro tem que ver se a empresa tem dresscode ou se a mesma permite o uso do acessório. A peça é difícil de usar, a pessoa precisa ter estilo.”

Segundo Grund, a melhor opção de chapéu para o calor dos trópicos é o panamá. “Este tipo de modelo é o mais certo. Mas para usar qualquer tipo, você precisa saber qual o formato do seu rosto e ver qual chapéu é o mais apropriado.”

Mesmo sendo tendência para o inverno, o chapéu não pode ser usado em todas as ocasiões. “Além de ver se a empresa permite o uso do acessório, nunca use em um casamento a noite.”

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fonte: Terra

Eu sou suspeita para falar de chapéus, principalmente o modelo Fedora é maravilhoso e cai bem com qualquer roupa, agora fiquem de olho estão lançando modelos em veludo para o inverno, lindíssimos.

Bjs Blue Fairy

Categorias:Moda e Beleza

Adesivo para unhas substitui o esmalte

julho 1, 2010 4 comentários

Fashion e divertido, ele já virou moda entre as mais descoladas

Andrea Giusti, iG São Paulo

Foto: Divulgação

Além de práticos, os adesivos também oferecem variedades de cores

À primeira vista pode até parecer over, mas é fato que os adesivos para unhas já ganharam status fashion. Ao contrário dos decalques, que servem apenas para decorar, o colante preenche toda a superfície da unha e substitui o esmalte, uma ótima opção para quem não leva o menor jeito com o pincel.

Marcas já conhecidas como Incoco, Sephora e Minx possuem linhas completas de adesivos, e os modelos são os mais variados: coloridos, com purpurina, xadrez, listrados, metalizados, floridos e até a tradicional francesinha.

Para comprar é preciso importar e o preço médio é de 15 dólares, equivalante a cerca de R$26.

A cantora Katy Perry é fã dos adesivos, a mão da foto é dela, que mostra o Minx
Foto: Reprodução

A cantora Katy Perry é fã dos adesivos, a mão da foto é dela, que mostra o Minx

Este slideshow necessita de JavaScript.

Minha Dica:
Sem dúvida nenhuma a opção dos adesivos é muito legal, mas não recomendo usar direto porque os adesivos irão osbtruir a oxigenação de suas unhas e isso faz mal, é necessario deixar respirar um pouco e usar os adesivos em ocasiões especiais.
Categorias:Moda e Beleza

Testamos: 13 esmaltes e produtos “incríveis” para as unhas

Algumas decepções e outras boas surpresas reveladas por quem acreditou no rótulo; confira!

Julia Reis, iG São Paulo |

Unhas impecáveis são importantes para uma mulher se sentir bonita. E além de esmaltes coloridos, as prateleiras estão repletas de produtos que prometem algo mais, como aumentar o tempo de duração da manicure, fortalecer as unhas, remover ou aplicar o esmalte com facilidade e mais. Para saber se tudo isso funciona, e se vale a pena investir um pouco mais nessas novidades, selecionamos 12 produtos novos ou renomados para testar nas unhas. Veja como cada um se saiu na prova:

> TESTE 1

Produto: Instant Dry, da Sally Hansen | R$ 51,90

O que promete: A cobertura de secagem rápida (30 segundos) aumenta a duração do esmalte,  evitando descascamento.

Avaliação: Reforça o brilho do esmalte e realmente seca rápido. A duração aumentou um pouco, mas não chegou a uma semana: cinco dias até começar a descascar.

Quem usou diz: “É bom, deixou as unhas brilhantes, mas não acho que vale a pena porque é meio caro e o esmalte não durou muito mais”.

Foto: Edu Cesar/Fotoarena

As fotos mostram as unhas no dia que foram pintadas e seis dias depois, já descascadas


> TESTE 2


Produtos:
Bonder + Top Coat Won’t Chip, da Orly | R$ 29,90 cada

O que prometem: A marca recomenda o uso casado dos dois produtos. O Bonder é um tipo de base que prende o esmalte à superfície da unha para maior adesão e durabilidade. Já o Won´t Chip é aplicado como cobertura e tem a função de proteger o esmalte e o brilho, evitando o descascamento por até duas semanas. Para a relização do teste foi usado o esmalte também da Orly, conforme instruções da empresa fabricante.

Avaliação: O esmalte durou apenas três dias, não resistiu ao detergente para lavar louça e descascou nas pontas. Fizemos uma segunda tentativa e o esmalte durou sete dias, mas nenhuma tarefa doméstica foi realizada neste período.

Quem usou diz: “No sábado fiz um jantar em casa e lavei louça. Quando olhei todos os dedos estavam descascando. Na segunda vez durou mais tempo, mas eu nem cheguei perto da cozinha para garantir. Fiquei decepcionada”.

 

Produto: Color Quick: Fast Dry Nail Color Pen, da Sally Hansen | R$75

O que promete: Esmalte em forma de caneta. Além de sugerir praticidade na aplicação, seca mais rápido.

Avaliação: A textura é mais líquida e é preciso apertar a parte de trás da caneta para liberar o esmalte para as cerdas – o que torna mais difícil de controlar a quantidade a ser aplicada na unha. O formato diferente é curioso, mas o preço ainda é alto no Brasil.

Quem usou diz:
“É bom para fazer retoques, mas não é mais fácil de pintar que o normal em vidrinho”.

Foto: Edu Cesar/Fotoarena

O esmalte não durou mais que três dias mesmo com a aplicação do Bonder (produto laranja) e da cobertura Won´t Chip

> TESTE 3

Foto: Edu Cesar/Fotoarena

A embalagem em forma de caneta é uma novidade ainda cara. Será que a ideia pega?


> TESTE 4

Produto: Esmalte 1 Seconde, da Bourjois | R$ 40

O que promete: Pincel em formato mais largo promete pintar a unha em uma pincelada, secar em 50 segundos e cobrir em uma única camada.

Avaliação: A cobertura é boa e uma camada dá conta mesmo. A secagem é mais rápida que os outros esmaltes comuns e a durabilidade é semelhante: depois do quarto dia começou a lascar. Vale comprar se gostar da cor.

Quem usou diz:
“Achei o formato do pincel bem bacana e firme, mas não pintei a unha em um segundo, como diz na embalagem. O pincel é maior que o convencional, mas mágica não existe”.

Foto: Edu Cesar/Fotoarena

O pincel mais largo é o principal diferencial deste esmalte da Bourjois

 


> TESTE 5


Produto:
Base de Tratamento 02, da Mavala | R$ 45

O que promete: Protege as unhas dos pigmentos do esmalte e prolonga sua duração.

Avaliação:
A base melhorou a aderência do esmalte. Depois de cinco dias duas unhas estavam  estragadas, mas as outras resistiram bem ao dia a dia, lavando louça e roupa.

Quem usou diz:
“Elas ficaram um pouco melhores do que o normal. A base também ajudou a não deixar a unha amarelada por conta do esmalte escuro”.

Foto: Edu Cesar/Fotoarena

A base Mavala ajuda a aumentar a duração do esmalte, mas duas unhas ficaram bem estragadas depois de cinco dias

 

> TESTE 6

Diamond Strenght endurecedor instantâneo para unhas, da Sally Hansen | R$ 45

O que promete: Endurecer as unhas e prevenir quebras, lascas e descamações instantaneamente.

Avaliação: Dá para sentir as unhas mais firmes depois de aplicar, mas o efeito só permanece quando o produto está na unha. Passou o removedor, voltou ao normal. Ou seja, ajuda a manter a unha inteira de forma temporária.

Quem usou diz: “Costumo brincar que minhas unhas são de papelão e senti diferença depois de passar o produto. Achei que valeu a pena, especialmente para ajudar a evitar quebras entre as idas à manicure”.

Foto: Edu Cesar/Fotoarena

Apesar da embalagem prateada, o produto parece uma base transparente

Produto:
 

> TESTE 7

Produto:
45 Segundos, da Speciallitá  | R$ 3

O que promete:
Secagem super rápida, em 45 segundos, mesmo com a aplicação de duas camadas

Avaliação:
O esmalte até seca rápido, mas em 45 segundos ainda estava molhado. Se você não se importar em esperar um pouco mais, não há problema.

Quem usou diz:
“Que pressa é essa de secar em menos de um minuto?! Escolha o esmalte pela cor e desencane do tempo de secagem. Aí tudo bem”.

Foto: Edu Cesar/Fotoarena

Depois de 45 segundos o esmalte ainda não estava seco. Melhor esperar um pouco mais!

 


> TESTE 8


Produto:
Cobertura transformadora da cor, da Colorama | R$ 3,15

O que promete: Aplicada em cima do esmalte cria reflexos de outras cores.

Avaliação: Testamos as coberturas dourada e azulada e os reflexos realmente mudam a cara do esmalte, mas a intensidade e resultado variam de acordo com a cor embaixo e a luz.

Quem usou diz: “Boa sacada, mas nem sempre o resultado fica lindo. Dica: Faça experiências antes de pintar para valer, pinte um dedo de cada cor e brinque com as cores”.

Foto: Edu Cesar/Fotoarena

O reflexo azul foi aplicado no esmalte escuro e o dourado, no fundo vermelho. É possível ver o efeito também nas unhas que estavam sem esmalte

 

 
> TESTE 9

Produto: Nail Art Pen, da Sally Hansen | R$75

Foto: Edu Cesar/Fotoarena

A caneta ajuda a fazer desenhos e acabamentos criativos nas unhas

O que promete: Caneta para arte nas unhas que facilita a aplicação de desenhos. Disponível em várias cores, nós testamos o preto.

Avaliação: A ponta em forma de caneta realmente ajuda a desenhar e fazer acabamentos como francesinha, mas o resultado final ainda depende da habilidade de cada um. O desenho pode ser apagado com água e só fixa na unha depois de aplicada uma cobertura – dá para consertar caso erre o traço.

Quem usou diz:
“Achei legal, mas na hora de fazer com a mão esquerda ficou meio torto. Preciso treinar! Para começar tente um efeito simples, como uma flor pequena”.
 

> TESTE 10

Produto:
Removedor de esmaltes fórmula suave (sem acetona), da Orly | R$ 19

O que promete:
Com sistema de esponja por imersão pretende tirar o esmalte com facilidade sem agredir as unhas.

Avaliação: É mais prático porque não precisa de algodão: é só colocar o dedo na esponja e girar. Limpar os cantinhos, porém, exige mais tempo e a esponja vai ficando manchada pelas cores dos esmaltes. Não deixou as unhas esbranquiçadas nem com resíduos.

Quem usou diz: “Achei prático. É uma boa dica de produto para ter na gaveta do trabalho. Além disso, é muito divertido de usar e fez sucesso com as amigas”.

Foto: Edu Cesar/Fotoarena

Removedor com sistema de esponja: é só colocar o dedo no potinho para tirar o esmalte

 


> TESTE 11

Produto: Esmalte única camada, da Colorama | R$ 2,80

O que promete:
Cobertura impecável em uma única camada

Avaliação:
Cumpre o que promete e cobre bem a unha com apenas uma camada.

Quem usou diz:
“Você ganha tempo para pintar, mas no quarto dia todas as unhas estavam descascadas. Para uma mulher que vai às compras, lava louça e cozinha, esse esmalte exige retoque logo”. 

Foto: Edu Cesar/Fotoarena

O esmalte cobre bem a unha com uma só camada, o que facilita a aplicação

 


> TESTE 12

Produto: Lenços removedores de esmaltes, da Océane | R$ 5

O que promete
: Remover o esmalte com facilidade por meio de fórmula hidratante sem acetona.

Avaliação:
Retira bem, mas são necessários cerca de três lenços umedecidos para remover completamente o esmalte, dependendo da cor. Por conta de textura oleosa borra um pouco e é preciso lavar as mãos depois.

Quem usou diz: “As unhas e cutículas ficaram hidratadas e a embalagem é bem pequena para levar em viagens e na bolsa. Mas a mão fica muito melecada na hora e o aroma de baunilha é muito forte”.

Foto: Edu Cesar/Fotoarena

Lenço removedor: eficaz mas oleoso

 
*Os preços podem variar de acordo com o ponto de venda.

Fonte: ig

Categorias:Moda e Beleza

Trança é tendência na cabeça das famosas

Em forma de tiara, coque, fininhas ou com volumes, o penteado é febre entre as celebridades

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fonte: IG

Categorias:Moda e Beleza

64% das universitárias brasileiras estão insatisfeitas com o corpo.

junho 11, 2010 Deixe um comentário

Quase 50% das alunas com peso adequado querem ser mais magras.
Jovens da Região Norte são as que desejam os menores padrões ideais.

Natália Chaves, 22 anos, 1,63 m e 65 kg: 'O meu ideal de peso seria uns 12 quilos abaixo'

Natália Chaves, 22 anos, 1,63 m e 65 kg: ‘Quando
fiz 18 anos, já estava na mesa de cirurgia para
colocar implante de silicone. No passado, refiz a
cirurgia. Já pensei em colocar um balão no
estômago’ (Foto: arquivo pessoal)

Quase dois terços das universitárias brasileiras não estão satisfeitas com seu corpo.

A conclusão é de pesquisa que avaliou 2.402 alunas – todas da área da saúde – de 37 instituições das cinco regiões do país.

Quase metade das entrevistadas com peso ideal também gostaria de ser mais magra.

O trabalho ouviu alunas do 1º e 2º anos dos cursos de enfermagem (59% do total), psicologia (15%), farmácia (12%), fisioterapia (9%), biomedicina (2%) e fonoaudiologia (1%).

A avaliação da satisfação corporal foi feita por meio da escala de silhuetas de Stunkard, uma ferramenta consagrada em pesquisas da área que traz nove figuras retratando formas corporais diferentes (entenda o passo a passo do estudo no infográfico abaixo).

Os formulários – e dados de idade, peso e estatura – foram preenchidos pelas próprias alunas em sala de aula.

Do total nacional, 64,4% das universitárias desejavam ser mais magras. Mesmo entre as eutróficas (com índice de massa corporal adequado), 47,8% escolheram figuras menores do que a figura que, em sua opinião, melhor representava seu corpo atual.

Curiosamente, as estudantes escolheram como saudáveis figuras maiores que as ideais

Diferenças regionais

Para a figura ideal, as estudantes do Norte escolheram as menores e as do Centro-Oeste, as maiores.

A maior diferença entre as figuras atual e ideal foi encontrada no Norte e a menor, no Centro-Oeste.

“Não esperávamos verificar essa discrepância maior no Norte. Nossa primeira hipótese é que fosse pior em São Paulo e no Rio”, disse ao G1 Marle Alvarenga, nutricionista da Universidade de São Paulo.

A pesquisa foi conduzida por Marle e por Sonia Philippi, Barbara Lourenço, Priscila Sato e Fernanda Scagliusi, especialistas da USP (Instituto de Psiquiatria e Faculdade de Saúde Pública) e da Universidade Federal de São Paulo (Departamento de Ciências da Saúde, campus Baixada Santista).

É uma pressão minha’
No caso de Natália Chaves, estudante de Relações Públicas na PUC de Campinas (SP) com 22 anos, 1,63 de altura e 65 quilos, a vontade de mudar começou cedo, aos 17 anos. “Eu era magrelinha, engordei 18 quilos, perdi peso, mas nunca voltei ao que era antes. Hoje em dia eu tento emagrecer por estética e por saúde. Sou nova e tenho colesterol alto”, conta.

“O meu ideal de peso seria uns 12 quilos abaixo. Não é uma pressão dos outros. É uma pressão minha. Meu marido não acha que eu deva perder muito peso.”

A universitária não vê sua preocupação como algo incomum. “Se você pegar 90 meninas da minha sala, todas lindas, todas vão querer mudar alguma coisa no corpo. Eu não sou gorda. Mas há muitas amigas minhas que eu adoraria ter a barriga de uma, a perna de outra, o cabelo de outra. As comparações são inevitáveis.”

Fonte:http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2010/06/64-das-universitarias-brasileiras-estao-insatisfeitas-com-o-corpo.html

Meu Comentário:

O peso ideal é aquele que sua saúde se encontra dentro dos padrões normais, sem colesterol, sem defict de vitaminas e com perfeita saúde.

O padrão não é padrão para as brasileiras, em especial pois o corpo da brasileira tem muitas curvas, particularmente eu faço a conta do peso 10kg- que sua altura, exemplo: 1,63  teria que pesar 53 kg. Porem, como ja mencionei o padrão é aquele com o qual você se sente bem consigo e ve se bem. 

Conselho, de alguem que vive a pressão do meio: digo a vocês que para fazer qualquer trabalho ligado a moda você tem que ser magra sim. Fotos e video engordam portanto menos peso melhores fotos.

Existe um mercado que cobra isso e você tem que estar de acordo para trabalhar em campanhas, propagandas e fotos comerciais que é o meu caso. Não aconselho a ninguem parar de comer e fazer bobagens por neura de perder peso, mas aconselho a prática diaria de exercicios fisicos e orientações de nutricionistas e endrócrinos.

Um bzu Bhya 🙂

Brinque de Estilista!

Olá Pessoal,

Aqui é possivel criar vários estilos, combinar vários estilos. Muito legal Aproveitem!

http://mtv.uol.com.br/itmtv/bymk

Bjs Blue Fairy

Categorias:Moda e Beleza