Arquivo

Archive for the ‘Saúde e Bem Estar’ Category

O PERGAMINHO DE KRATO

Existe um antigo mistério no Universo:

Por que existe a vida?

Para que a Criação?

Os intelectos se afanam, procuram

e não encontram,

inventam teorias,

mas o antigo mistério

somente ao amor se revela

à consciência iluminada pelo amor.

Privilégio dos simples e ingênuos,

como crianças.

 

Amor é um ingrediente sutil da consciência.

É capaz de mostrar o sentido profundo da existência.

Amor é a única “droga” legal.

Alguns procuram equivocadamente no álcool
e em outras “drogas” 
o que o Amor produz.

Amor é o sentido mais necessário da vida.

Os sábios conhecem o segredo e só procuram Amor.

Os outros o ignoram e por isso procuram o externo.

Como obter Amor:

Nenhuma técnica serve, porque Amor não é material.

Não está submetido às leis do pensamento e da razão.

Elas é que estão submetidas a Ele.

Para obter Amor, deve-se saber antes que Amor não é um sentimento, mas um Ser.

Amor é alguém, um Espírito vivo e Real, que quando entra em nós,

chega a felicidade, chega tudo.

Como fazer com que Ele venha?

Primeiro deve-se acreditar que existe (porque não se vê, só se sente)

(alguns o chamam Deus),

depois deve-se buscá-lo em sua morada íntima: o coração.

Não é preciso chamá-lo porque já está em nós.

Não é preciso pedir-lhe que venha, mas deixá-lo sair, liberá-lo, entregá-lo.

Não se trata de pedir Amor, mas de dar Amor.

Como se obtêm Amor?

Dando Amor.

Amando.

 

(extraído do livro “A volta de Ami”, de Enrique Barrios)

Hidrate-se no inverno

Água e hidratante mantêm o corpo protegido e bonito na época mais fria do ano

Thaís Manarini, especial para o iG São Paulo

Quando o inverno chega, a sensação de sede praticamente desaparece, fazendo com que o consumo de água se torne mais escasso.

Essa situação pode colocar a saúde em risco, já que ela é essencial para manter o organismo funcionando plenamente.

De acordo com Adriana Leite, coordenadora técnica do Conselho Regional de Nutricionistas – 9ª região (MG), “mais de 60% do corpo humano é formado por água. Trata-se de um elemento indispensável para o bem-estar”. Para se ter ideia, o líquido auxilia na regulação da temperatura corporal, ajuda na eliminação de toxinas por meio da urina e da transpiração, ajuda a moldar o bolo fecal, é utilizado no processo de respiração e carrega muitos nutrientes a todas as partes do corpo.

Sendo assim, independente da estação do ano, a recomendação é a mesma: um adulto saudável precisa beber aproximadamente dois litros de água por dia – ela pode ser obtida em sua forma pura e também com a ajuda de alimentos que a apresentam em sua composição, como frutas verduras, legumes, sucos, sopas, chás, etc.

“Esse valor pode variar de acordo com alguns fatores, como realização de atividades físicas, temperatura do ambiente e presença de doenças”, ressalta a profissional mineira.

Foto: Getty Images

Água: hidratação de dentro para fora

Problemas à vista

Quando a ingestão do líquido não chega perto daquela considerada ideal – quadro conhecido como desidratação – um dos grandes perigos é sobrecarregar o rim, órgão responsável pelo trabalho de eliminação de toxinas e resíduos. “A água é fundamental nesse processo. Em sua ausência, o rim não tem condições ideais para realizar a filtração. Assim, muitas doenças renais podem aparecer”, observa Adriana.

É válido ressaltar também que a desidratação pode levar à morte. Seu surgimento está ligado a fatores como vômitos, diarreias e, é claro, consumo insuficiente de água. Para não correr riscos, a nutricionista avisa que é preciso ficar atento a alguns sintomas, tais como boca seca, urina de cor e cheiro fortes, cansaço, perda da concentração, falhas na memória e dor de cabeça.

Atletas: cuidados redobrados

Durante os exercícios físicos, a transpiração (que nada mais é do que a evaporação da água) serve para que os níveis de temperatura do corpo se mantenham seguros. Como ela parece ser menos intensa no inverno, muita gente acha que a hidratação não é tão importante nessa época, o que é um grande erro. “Beber água é fundamental durante a malhação. Em alguns casos, quem faz exercícios deve hidratar-se até seis vezes mais do que uma pessoa sedentária”, avisa Marcelo Enrique Borges, professor da Vibe Academia, unidade Pompéia, em São Paulo (SP).

Sem esse liquido passeando pelo corpo, o profissional ressalta que as reações químicas realizadas pelo organismo para obter energia não ocorrem, impossibilitando a realização de exercícios. E os problemas não param por aí: como até 75% da fibra muscular é constituída de água, é muito difícil conquistar o tônus dos sonhos sem a ajuda desse nutriente.

Além de manter o corpo hidratado internamente, é importante prestar atenção na pele, um dos órgãos que mais sofre quando as temperaturas caem. Isso porque fica mais ressecada, deixando as pessoas suscetíveis a dermatites. “Entre idosos e atletas que se exercitam ao ar livre a cautela deve ser maior”, frisa Adriana.

 

Foto: Getty Images

Hidratante: após o banho, ele ajuda a prevenir o ressecamento

Abuse do hidratante

Para escapar do ressecamento, caracterizado principalmente por descamação e coceira, é fundamental apostar em bons hidratantes. “Nessa época é melhor usar cremes com substâncias mais oleosas, já que essas ajudam a reter a água na pele. Já nas áreas com tendência ao desenvolvimento de espinhas, como rosto e costas, o ideal é passar produtos com ativos que ‘puxem’ a água das camadas profundas para as mais superficiais”, indica a dermatologista Andréia Mateus, responsável pelo departamento de cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Mas a regrinha não serve para todo mundo. Quem já tem a pele naturalmente oleosa, por exemplo, precisa investir em cremes específicos para essa característica. “Por isso é preciso contar com o acompanhamento de um dermatologista. Sem contar que muitos cremes disponíveis atualmente servem mais para perfumar do que hidratar a pele”, frisa a médica.

Outra dica de ouro para driblar o ressecamento é evitar tomar banhos muito quentes – uma tentação de inverno. Segundo Andréia, o hábito favorece a remoção da fina camada de gordura que carregamos sobre a pele, responsável justamente por barrar a evaporação do líquido para o meio externo.

“Se tomar mais de um banho por dia, procure pegar leve no uso de sabonete, pois ele também tende a tirar esse manto benéfico para a pele”, finaliza.

Fonte: IG

Categorias:Saúde e Bem Estar

O que é a Depressão?

junho 16, 2010 1 comentário

Depressão… 

 

 é uma doença que se caracteriza por afetar o estado de humor da pessoa, deixando-a com um predomínio anormal de tristeza. Todas as pessoas, homens e mulheres, de qualquer faixa etária, podem ser atingidas, porém mulheres são duas vezes mais afetadas que os homens. Em crianças e idosos a doença tem características particulares, sendo a sua ocorrência em ambos os grupos também freqüente.

Como se desenvolve a depressão?

Na depressão como doença (transtorno depressivo), nem sempre é possível haver clareza sobre quais acontecimentos da vida levaram a pessoa a ficar deprimida, diferentemente das reações depressivas normais e das reações de ajustamento depressivo, nas quais é possível localizar o evento desencadeador.

As causas de depressão são múltiplas, de maneira que somadas podem iniciar a doença. Deve-se a questões constitucionais da pessoa, com fatores genéticos e neuroquímicos (neurotransmissores cerebrais) somados a fatores ambientais, sociais e psicológicos, como:
 

 
  • Estresse
 
  • Estilo de vida
 
  • Acontecimentos vitais, tais como crises e separações conjugais, morte na família, climatério, crise da meia-idade, entre outros.

Como se diagnostica a depressão?

Na depressão a intensidade do sofrimento é intensa, durando a maior parte do dia por pelo menos duas semanas, nem sempre sendo possível saber porque a pessoa está assim. O mais importante é saber como a pessoa sente-se, como ela continua organizando a sua vida (trabalho, cuidados domésticos, cuidados pessoais com higiene, alimentação, vestuário) e como ela está se relacionando com outras pessoas, a fim de se diagnosticar a doença e se iniciar um tratamento médico eficaz.

O que sente a pessoa deprimida?

Freqüentemente o indivíduo deprimido sente-se triste e desesperançado, desanimado, abatido ou ” na fossa “, com ” baixo-astral “. Muitas pessoas com depressão, contudo, negam a existência de tais sentimentos, que podem aparecer de outras maneiras, como por um sentimento de raiva persistente, ataques de ira ou tentativas constantes de culpar os outros, ou mesmo ainda com inúmeras dores pelo corpo, sem outras causas médicas que as justifiquem. Pode ocorrer também uma perda de interesse por atividades que antes eram capazes de dar prazer à pessoa, como atividades recreativas, passatempos, encontros sociais e prática de esportes. Tais eventos deixam de ser agradáveis. Geralmente o sono e a alimentação estão também alterados, podendo haver diminuição do apetite, ou mesmo o oposto, seu aumento, havendo perda ou ganho de peso. Em relação ao sono pode ocorrer insônia, com a pessoa tendo dificuldade para começar a dormir, ou acordando no meio da noite ou mesmo mais cedo que o seu habitual, não conseguindo voltar a dormir. São comuns ainda a sensação de diminuição de energia, cansaço e fadiga, injustificáveis por algum outro problema físico.

Como é o pensamento da pessoa deprimida?

Pensamentos que freqüentemente ocorrem com as pessoas deprimidas são os de se sentirem sem valor, culpando-se em demasia, sentindo-se fracassadas até por acontecimentos do passado. Muitas vezes questões comuns do dia-a-dia deixam os indivíduos com tais pensamentos. Muitas pessoas podem ter ainda dificuldade em pensar, sentindo-se com falhas para concentrar-se ou para tomar decisões antes corriqueiras, sentindo-se incapazes de tomá-las ou exagerando os efeitos “catastróficos” de suas possíveis decisões erradas.

Pensamentos de morte ou tentativas de suicídio

Freqüentemente a pessoa pode pensar muito em morte, em outras pessoas que já morreram, ou na sua própria morte. Muitas vezes há um desejo suicida, às vezes com tentativas de se matar, achando ser esta a ” única saída ” ou para ” se livrar ” do sofrimento, sentimentos estes provocados pela própria depressão, que fazem a pessoa culpar-se, sentir-se inútil ou um peso para os outros. Esse aspecto faz com que a depressão seja uma das principais causas de suicídio, principalmente em pessoas deprimidas que vivem solitariamente. É bom lembrar que a própria tendência a isolar-se é uma conseqüência da depressão, a qual gera um ciclo vicioso depressivo que resulta na perda da esperança em melhorar naquelas pessoas que não iniciam um tratamento médico adequado.

Sentimentos que afetam a vida diária e os relacionamentos pessoais

Freqüentemente a depressão pode afetar o dia-a-dia da pessoa. Muitas vezes é difícil iniciar o dia, pelo desânimo e pela tristeza ao acordar. Assim, cuidar das tarefas habituais pode tornar-se um peso: trabalhar, dedicar-se a uma outra pessoa, cuidar de filhos, entre outros afazeres podem tornar-se apenas obrigações penosas, ou mesmo impraticáveis, dependendo da gravidade dos sintomas. Dessa forma, o relacionamento com outras pessoas pode tornar-se prejudicado: dificuldades conjugais podem acentuar-se, inclusive com a diminuição do desejo sexual; desinteresse por amizades e por convívio social podem fazer o indivíduo tender a se isolar, até mesmo dificultando a busca de ajuda médica.

Como se trata a depressão?

A depressão é uma doença reversível, ou seja, há cura completa se tratada adequadamente. O tratamento médico sempre se faz necessário, sendo o tipo de tratamento relacionado ao perfil de cada paciente. Pode haver depressões leves, com poucos aspectos dos problemas mostrados anteriormente e com pouco prejuízo sobre as atividades da vida diária. Nesses casos, o acompanhamento médico é fundamental, mas o tratamento pode ser apenas psicoterápico.

Pode haver também casos de depressões bem mais graves, com maior prejuízo sobre o dia-a-dia do indivíduo, podendo ocorrer também sintomas psicóticos (como delírios e alucinações) e ideação ou tentativas de suicídio. Nessa situação, o tratamento medicamentoso se faz obrigatório, além do acompanhamento psicoterápico.

Os medicamentos utilizados são os antidepressivos, medicações que não causam “dependência”, são bem toleradas e seguras se prescritas e acompanhadas pelo médico. Em alguns casos faz-se necessário associar outras medicações, que podem variar de acordo com os sintomas apresentados (ansiolíticos, antipsicóticos).

Colaboradoras
Dra. Alice Sibile Koch
Dra. Dayane Diomário da Rosa

Fonte: http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?102

Mais um motivo para fazer uma salada ou sopa de grão!

junho 16, 2010 4 comentários

O grão-de-bico é um alimento mais rico do que o feijão em muitos aspectos. Entre 20 e 30% de sua constituição é pura proteína. Possui muitas fibras, zinco, potássio, ferro, cálcio e magnésio. Se for consumido todos os dias, faz ganhar massa muscular, aumenta o bom humor, reduz o nível de colesterol ruim e regula o intestino.


 

Mas sua qualidade mais famosa é de gerar felicidade: possui mais triptofano do que o feijão, o mesmo aminoácido essencial que faz do chocolate essa bela fonte de bem-estar e redução do stresse. “Em seres humanos metabolicamente normais, o aumento do consumo do grão-de-bico tem como conseqüência uma maior produção da serotonina”, destacam Leonardo S. Boiteux e Maria Esther de Noronha Fonseca, do Laboratório de Melhoramento Genético & Análise Genômica do Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças (CNPH) da Embrapa Hortaliças, em
Brasília.

Por ter ômega 3 e 6, é indicado para prevenir doenças cardiovasculares.E quem tem diabetes ou está lutando contra a obesidade também pode se
beneficiar da leguminosa.

“Tem carboidratos complexos, ou seja, possuem uma metabolização lenta no organismo. Por também ser rico em fibras, proporciona sensação de saciedade e a pessoa só vai sentir fome bem mais tarde”, explica a nutricionista baiana Solange Carvalho.

Os pesquisadores da Embrapa Hortaliças destacam que as sementes do grão-de-bico também acumulam mais fitoestrogênios do que as do feijão -substâncias que têm ação preventiva na osteoporose e de problemas cardiovasculares.

 Os fitoestrogênios também são usados na reposição hormonal após a menopausa.

 Fonte: http://apocalink.forumfree.it/?t=48656947

 

 

Meu Comentário:

Viva as hortaliças! Eu como e recomendo!

Um bzu Bhya :)

Remédio para baixar a pressão arterial eleva o risco de câncer.

junho 15, 2010 Deixe um comentário

 

Estudo realizado na Escola de Medicina da Universidade Case Western Reserve, em Cleveland, nos Estados Unidos, mostrou que o uso de medicamentos para controlar a pressão, do tipo bloqueadores dos receptores da angiotensina ou BRA (um dos mais receitados no mundo), está associado a um risco moderado de desenvolver câncer. Os dados foram publicados na revista “Lancet Oncology”.

Numa investigação prévia, em 2003, apareceu a primeira evidência da relação entre o uso de anti-hipertensivo e formação de tumores, mas o achado foi considerado pouco significativo. Agora cientistas analisaram estudios anteriores que acompanharam 60 mil pacientes usuários de BRA e concluíram que esta droga estava associada a uma probabilidade significativamente maior de novos diagnósticos de câncer, comparado com o grupo de pacientes que usava placebo ou outras substâncias para tratar doenças cardíacas (7,2% contra 6%). E 85% dos pacientes tomaban telmisartan, do laboratório Boehringer Ingelheim. O tumor com mais registros foi o de pulmão.

Porém não está claro porque o BRA pode aumentar o risco de câncer, mas alguns estudos com animais sugerem que isso estar relacionado ao crescimento de novos vasos sanguíneos em tumores. Segundo Ilke Sipahi, um dos autores da pesquisa, ainda que o aumento do risco seja moderado, essas drogas são usadas de forma crônica por milhares de pessoas, o que pode significar um número importante de casos adicionais da doença.

– Os pacientes devem tomar uma decisão com seus médicos sobre os riscos potenciais e perguntar se devem mudar o tratamento – disse o pesquisador.

Judy O´Sullivan, da Fundação Britânica do Coração, concorda que é necessário realizar mais estudos antes de estabelecer uma conclusão.

– Os benefícios desses fármacos são bem conhecidos e eles são um tratamento eficaz para milhares de pessoas que sofrem de doença cardíaca e coronária – afirma.

Já o médico Tim Chico, subdiretor da Unidade de Investigação Biomédica Cardiovascular da Universidade de Sheffield, na Inglaterra, acrescenta que o estudo não confirma claramente o vínculo do medicamento com o desenvolvimento de tumores. Por outro lado já está provado que o BRA pode reduzir a pressão arterial e salvar vidas:

– Se as pessoas que tomam esses fármacos estão preocupadas com esse possível efeito colateral, elas devem consultar seus médicos.

Fonte:http://extra.globo.com/saude/plantao/2010/06/14/remedio-para-baixar-pressao-arterial-eleva-risco-de-cancer-916879328.asp

Meu Comentário:

Sempre procurando pesquisar sobre o medicamento, observando os efeitos colaterais e sua indicação, não esquecendo de consultar um médico especializado para obter uma possível  solução  do problema.

Um bzu Bhya :)

64% das universitárias brasileiras estão insatisfeitas com o corpo.

junho 11, 2010 Deixe um comentário

Quase 50% das alunas com peso adequado querem ser mais magras.
Jovens da Região Norte são as que desejam os menores padrões ideais.

Natália Chaves, 22 anos, 1,63 m e 65 kg: 'O meu ideal de peso seria uns 12 quilos abaixo'

Natália Chaves, 22 anos, 1,63 m e 65 kg: ‘Quando
fiz 18 anos, já estava na mesa de cirurgia para
colocar implante de silicone. No passado, refiz a
cirurgia. Já pensei em colocar um balão no
estômago’ (Foto: arquivo pessoal)

Quase dois terços das universitárias brasileiras não estão satisfeitas com seu corpo.

A conclusão é de pesquisa que avaliou 2.402 alunas – todas da área da saúde – de 37 instituições das cinco regiões do país.

Quase metade das entrevistadas com peso ideal também gostaria de ser mais magra.

O trabalho ouviu alunas do 1º e 2º anos dos cursos de enfermagem (59% do total), psicologia (15%), farmácia (12%), fisioterapia (9%), biomedicina (2%) e fonoaudiologia (1%).

A avaliação da satisfação corporal foi feita por meio da escala de silhuetas de Stunkard, uma ferramenta consagrada em pesquisas da área que traz nove figuras retratando formas corporais diferentes (entenda o passo a passo do estudo no infográfico abaixo).

Os formulários – e dados de idade, peso e estatura – foram preenchidos pelas próprias alunas em sala de aula.

Do total nacional, 64,4% das universitárias desejavam ser mais magras. Mesmo entre as eutróficas (com índice de massa corporal adequado), 47,8% escolheram figuras menores do que a figura que, em sua opinião, melhor representava seu corpo atual.

Curiosamente, as estudantes escolheram como saudáveis figuras maiores que as ideais

Diferenças regionais

Para a figura ideal, as estudantes do Norte escolheram as menores e as do Centro-Oeste, as maiores.

A maior diferença entre as figuras atual e ideal foi encontrada no Norte e a menor, no Centro-Oeste.

“Não esperávamos verificar essa discrepância maior no Norte. Nossa primeira hipótese é que fosse pior em São Paulo e no Rio”, disse ao G1 Marle Alvarenga, nutricionista da Universidade de São Paulo.

A pesquisa foi conduzida por Marle e por Sonia Philippi, Barbara Lourenço, Priscila Sato e Fernanda Scagliusi, especialistas da USP (Instituto de Psiquiatria e Faculdade de Saúde Pública) e da Universidade Federal de São Paulo (Departamento de Ciências da Saúde, campus Baixada Santista).

É uma pressão minha’
No caso de Natália Chaves, estudante de Relações Públicas na PUC de Campinas (SP) com 22 anos, 1,63 de altura e 65 quilos, a vontade de mudar começou cedo, aos 17 anos. “Eu era magrelinha, engordei 18 quilos, perdi peso, mas nunca voltei ao que era antes. Hoje em dia eu tento emagrecer por estética e por saúde. Sou nova e tenho colesterol alto”, conta.

“O meu ideal de peso seria uns 12 quilos abaixo. Não é uma pressão dos outros. É uma pressão minha. Meu marido não acha que eu deva perder muito peso.”

A universitária não vê sua preocupação como algo incomum. “Se você pegar 90 meninas da minha sala, todas lindas, todas vão querer mudar alguma coisa no corpo. Eu não sou gorda. Mas há muitas amigas minhas que eu adoraria ter a barriga de uma, a perna de outra, o cabelo de outra. As comparações são inevitáveis.”

Fonte:http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2010/06/64-das-universitarias-brasileiras-estao-insatisfeitas-com-o-corpo.html

Meu Comentário:

O peso ideal é aquele que sua saúde se encontra dentro dos padrões normais, sem colesterol, sem defict de vitaminas e com perfeita saúde.

O padrão não é padrão para as brasileiras, em especial pois o corpo da brasileira tem muitas curvas, particularmente eu faço a conta do peso 10kg- que sua altura, exemplo: 1,63  teria que pesar 53 kg. Porem, como ja mencionei o padrão é aquele com o qual você se sente bem consigo e ve se bem. 

Conselho, de alguem que vive a pressão do meio: digo a vocês que para fazer qualquer trabalho ligado a moda você tem que ser magra sim. Fotos e video engordam portanto menos peso melhores fotos.

Existe um mercado que cobra isso e você tem que estar de acordo para trabalhar em campanhas, propagandas e fotos comerciais que é o meu caso. Não aconselho a ninguem parar de comer e fazer bobagens por neura de perder peso, mas aconselho a prática diaria de exercicios fisicos e orientações de nutricionistas e endrócrinos.

Um bzu Bhya 🙂

Alguém que lhe imita está com inveja?!

maio 31, 2010 6 comentários

 

Falei no primeiro texto sobre “modelar”, assim alguém que lhe imita pode estar lhe modelando, ou seja, aprendendo através de seu passo.

E isso deveria ser fonte de orgulho. Alguém acha que você fez coisas certas e eficientes e quer, através de seu exemplo, evoluir, aperfeiçoar-se. Acho isso bom. É quase um reconhecimento. Se a pessoa com o tempo largar isso e seguir seu próprio caminho, ela está saudável e confiante, só queria um impulso inicial.

Se pelo contrário, passa o tempo e ela só piora, imitando cada vez mais, ela está doente e precisa de ajuda, pois está perdendo sua identidade e individualidade. É uma pena para ela, para você é como falei no texto anterior, é indiferente, pois se você estiver com os pensamentos elevados, essa pessoa não vai ter poder em sua vida. Se você não estiver nessa vibração elevada e estiver sendo atingido, está na hora de curar-se trabalhando seus próprios pensamentos e usando meios legais para interromper a ação dos invejosos, dependendo do grau de obsessão deste.

 Como disse alguém que lhe imita necessariamente não precisa estar com inveja, mas é uma possibilidade que o tempo revelará. Primeiro alegre-se, alguém achou que seus passos são bons e válidos e fique atento para com o tempo ver se este ser vai caminhar com suas próprias penas ou não.

O principal, eu acho, é não fazer drama; para tudo tem solução na vida e os redemoinhos em que de vez em quando nos encontramos são meios de chamar atenção para mudanças necessária em nossa vida.

Fonte: http://multiplasrealidades.blogspot.com/2009/10/inveja-alguem-que-lhe-imita-esta-com.html

Meu Comentário:

Particularmente, penso que; quem “modela” alguem é porque não tem uma identidade formada;  então busca nos outros como agir perante a  vida.

Já fui e sou muito imitada, isso é irritante do ponto de vista que geralmente são pessoas próximas e sempre imitam desde a minha forma de escrever e-mails,  até coisas mais incriveis como esmaltes entre outras coisas.

Não gosto de gente sem personalidade, quem imita é porque não tem diretrizes da própria vida. É sem caráter e não tem respeito consigo. Um anônimo que quer se tornar visto nem que seja a base de copias das atitudes e gestos alheios. Costumo dizer que cada um tem seu espaço no mundo e DEVE criar suas PRÓPRIAS atitudes e NÃO IMITAR outros.

Para mim; isto pode começar de um simples ato até virar uma compulsão. Criar seu próprio estilo e ser AUTÉNTICO  são caracteristicas que nem todos possuem então a criatura copia o criador., o que é lamentável.

 

Bzus Bhya